Morar sozinho: quanto custa e como se planejar

Morar sozinho
Morar sozinho

Morar sozinho é o sonho de muitos jovens adultos, apesar dos custos adicionais. É natural pensar que os gastos serão altos demais e você não dará conta do compromisso. Mas, fique tranquilo. Nessa matéria, te contamos como se planejar e, claro, quanto custa morar sozinho.

Como se planejar para morar sozinho?

1. “Ensaie” morar sozinho

Antes de falarmos em valores, é importante que você saiba se realmente está preparado para dar esse passo. Sugerimos que você faça um experimento. Durante três meses, finja que mora sozinho. 

Separe o valor do aluguel fictício, das contas de consumo e reserve-os em uma conta ou investimento. Você não pode usar esse dinheiro durante o teste. É como se já estivesse pagando as despesas da casa.

Junto a isso, lave a sua roupa, faça a sua comida, chame o eletricista (se necessário) e se responsabilize por qualquer tarefa possível. Afinal, morar sozinho exige mais do que novos hábitos financeiros. 

2. Pesquise o custo de vida na sua cidade

É importante que você conheça o custo de vida onde deseja morar. Para tanto, pesquise valores de aluguel e das contas de consumo, como a de luz e de água. Se tiver um amigo que já mora sozinho, melhor ainda. Pergunte para ele tudo o que precisa saber sobre esse novo estilo de vida, inclusive os gastos que ele possui.

Além do aluguel e das contas, lembre-se de considerar outros valores como taxa de condomínio, taxa de incêndio e IPTU. Aproveite esse momento para verificar ainda os gastos com alimentação e, se necessário, com transporte.

3. Conheça o processo de alugar um imóvel

Morar sozinho
Morar sozinho pode ser desafiador, mas fica bem mais fácil com planejamento financeiro (Imagem: Freepik)

Ainda que pareça simples, alugar um imóvel pode ser bastante burocrático. A depender da cidade, é possível encontrar casas e apartamentos com locação diretamente com o proprietário. Em cidades pequenas, inclusive, é comum que muitos sequer utilizem contratos — ainda que esse seja um instrumento importante. 

Mas, em geral, há alguns processos e burocracias que devem ser seguidos. Geralmente, é exigido que a renda do interessado seja três vezes maior do que o valor do aluguel. Além disso, há proprietários e imobiliárias que pedem garantias para a locação. Abaixo, listamos algumas delas para que você pesquise:

  • Pagamento de caução (em dinheiro);
  • Caução hipotecário;
  • Seguro Fiança;
  • Fiador vinculado em contrato;
  • CredPago.

Se optar por alugar através de uma imobiliária, você estará sujeito a taxas extras, como de administração e seguro. Outro ponto de atenção é o tempo mínimo de locação. Há quem alugue o imóvel por 6 meses, um ano, dois anos, três anos e por aí vai. E, caso o inquilino decida sair antes desse período, ele terá que pagar multa.

Se atente também às suas obrigações enquanto inquilino. Em muitos casos, é preciso entregar o imóvel com uma nova pintura e qualquer alteração desfeita, como furos na parede.

4. Reserve dinheiro para a mudança

Além do aumento de gastos que acompanha esse novo estilo de vida, tenha em mente que se mudar por si só é muito custoso. Além de todos os valores acima, muito possivelmente você terá que comprar móveis, utensílios e itens para a casa nova. 

Gastos com transportadora, instalações iniciais, botijão de gás, profissionais que cuidarão da montagem de móveis, ajustes elétricos, hidráulicos e outros também podem entrar na sua lista. Você pode estar se perguntando: como juntar dinheiro se não sei quanto vou gastar para morar sozinho? 

Quanto custa morar sozinho?

Vamos ao que interessa, então. O ponto de partida é conhecer o seu orçamento mensal. Para tanto, é importante que você saiba quanto ganha, os seus compromissos financeiros e, finalmente, quanto gastará assim que morar sozinho.

O Organizze te ajuda!

Como um aplicativo dedicado ao controle de finanças pessoais, o Organizze foi feito para isso. Logo na tela inicial, o usuário tem fácil acesso a ferramentas para registrar receitas e despesas. Temos recursos intuitivos que te ajudarão a controlar o seu dinheiro! 

Vamos pensar, então, quais são os custos básicos de morar sozinho. Ainda que já tenhamos citados vários deles, nada como uma lista para organizar os pensamentos, não é?

  • Aluguel;
  • Condomínio e IPTU;
  • Conta de água;
  • Conta de luz;
  • Gás;
  • Plano de internet;
  • Mobília;
  • Eletrodomésticos;
  • Compras de mercado e alimentação;
  • Transporte.

Os valores variam muito de acordo com o estado, com a cidade e com o bairro escolhidos. Por esse motivo, indicamos que você pesquise na internet e entre conhecidos. Mas, não se preocupe, te apresentaremos os custos médios de morar sozinho em 2022, segundo dados divulgados pelo Banco Inter.

1. Aluguel

O preço médio de locação residencial foi de R$ 34,92/m², conforme o cálculo em julho de 2022 feito pelo Índice Zap+. Se considerarmos o aluguel de um apartamento com 45m², o valor aproximado é de R$ 1.600,00.

2. Conta de luz

Segundo dados da ANEEL, a tarifa média é de R$ 0,60 por kwh. A média de consumo de energia dos brasileiros, por sua vez, é de 220Kwh/mês. Então, a conta de luz gira em torno de R$ 120,00. Mas, para quem mora sozinho, o valor estimado cai para R$ 100,00.

3. Gás

Em 2022, o valor médio do botijão de gás é de R$ 52,34. Para uma única pessoa, a durabilidade é de dois meses. Portanto, o custo mensal R$ 26,17. Se o imóvel possui gás encanado, esse valor pode ser diferente.

4. Compras de mercado

Conforme o DIEESE, o valor de uma cesta básica completa pode variar de R$ 525,50 a R$ 760,45. O preço mais alto foi identificado na cidade de São Paulo. Podemos considerar, contudo, que o custo com compras de mercado esteja em torno de R$ 550,00.

Essas são apenas algumas estimativas que, novamente, podem estar mais distantes ou mais próximas da sua realidade a depender de onde você mora. Caso os números tenham te assustado, lembre-se que o planejamento é a chave.

Além de economizar no seu dia a dia, você pode investir o seu dinheiro e procurar opções de renda extra. Assim, juntando esforços, você conseguirá reunir o valor necessário para se mudar e morar sozinho.

Ah, antes que você vá embora, temos uma pergunta: já assinou a nossa Newsletter? Nela conversamos sobre temas do mundo financeiro de forma descontraída, leve e no tempo do seu cafezinho matinal. Faça o seu cadastro gratuito! Estamos te esperando 🙂

Conselheiro de empresas, mentor, empreendedor e investidor serial apaixonado por scale-ups e venture capital. Palestrante em diversas iniciativas do ecossistema brasileiro de inovação e empreendedorismo.