8 dicas para fugir de descontos falsos na Black Friday

A Black Friday 2023 terá muitos descontos e, como de praxe, muitas ofertas falsas. O Organizze te ajuda a desviar dessas armadilhas!

Capa 10 dicas para fugir de descontos falsos na Black Friday 1

Que as pessoas esperam a Black Friday para comprar mais barato todos nós já sabemos. Em muitos casos, no entanto, isso nem sempre acontece. Infelizmente, esse período é inundado por descontos falsos que podem enganar até os consumidores mais atentos.

Pensando na sua economia e segurança, o Organizze selecionou medidas que te ajudarão a fugir dessas armadilhas. Através delas, você certamente aproveitará esse período ao máximo e poderá comprar sem preocupações!

Como evitar descontos falsos na Black Friday?

1. Desconfie de preços muito baixos

A Black Friday ou, se preferir, a Black November é considerada a data com os maiores descontos do ano. Apesar disso, ofertas muito atraentes podem representar um risco. Para se destacar no mar de promoções, terceiros mal-intencionados criam anúncios falsos com preços abaixo da média.

O objetivo é fisgar consumidores desavisados e, consequentemente, seus dados pessoais e bancários. Para evitar descontos falsos e outros golpes, use comparadores de preços —  que já citamos em outras oportunidades no blog do Organizze. Assim, você pode identificar a média de valores para determinado produto. Aqui vão algumas sugestões:

  • Zoom;
  • Buscapé;
  • JáCotei;
  • Bondfaro;
  • Promobit;
  • Pelando;
  • Google Shopping.

2. Anúncios por SMS, WhatsApp e redes sociais

Uma prática muito utilizada na divulgação de descontos falsos na Black Friday é o phishing. Em geral, ela consiste em propagandas e links muito atraentes. Na maioria dos casos, com uma promoção imperdível ou algo que “fisgue” o consumidor.

Ele, então, é encaminhado para uma página falsa que simula um site oficial. Através desse canal, são coletados todos os dados fornecidos no momento da compra. O prejuízo é triplo: além das suas informações, o usuário perde o dinheiro da compra e, se não agir rápido, valores ainda maiores através do cartão utilizado.

Além disso, tome cuidado para mensagens e e-mails com os avisos “Sua fatura chegou!” e “Você foi sorteado!”. Notificações de compras desconhecidas podem ser perigosas. Jamais clique nos links. Para verificar a informação, vá diretamente ao aplicativo ou site que entrou em contato com você.

3. Compre em sites confiáveis

No frenesi da Black Friday, muitos sites novos surgem na Web. Ainda que alguns sejam verdadeiros, prefira comprar em lojas conhecidas ou em grandes empresas e marketplaces. Caso você tenha algum problema com o seu pedido, certamente será mais fácil de solucioná-lo.

Para não cair em uma página falsa, verifique se a URL (endereço do site) está correta. Procure também por erros de gramática ou na logo, que são comuns em tentativas de phishing. O cadeado na barra de navegação também reforça a autenticidade do seu acesso.

4. Atenção ao preço final

Quem nunca foi atraído por um anúncio e, quando chegou na tela de compra, se deparou com um preço diferente? Esse período do ano costuma gerar muita ansiedade nos consumidores e, na pressa de finalizar a compra, muitos não verificam o preço final. Sabendo disso, muitos sites alteram o valor e os compradores, sem notar, pagam mais caro do que planejaram. 

Compras online
O consumidor deve ser perspicaz para fugir de descontos falsos na Black Friday  (gpointstudio via Freepik/Reprodução)

5. Um olho no produto, outro olho no frete

Outro erro é não pensar no frete. Ao divulgarem ofertas meteóricas, algumas empresas compensam a redução de lucro no valor da entrega. Se o consumidor não tiver prejuízos, pagando mais caro do que em outros sites, muito provavelmente sairá no zero a zero — como se não tivesse desconto algum.

6. Evite pagar via boleto e Pix

Pagamentos à vista podem ser bastante vantajosos quando acompanhados de descontos. Apesar disso, não recomendamos que você os utilize. Se, por acaso, você cair em uma página falsa, será mais fácil recuperar o dinheiro perdido. Ao usar o cartão de crédito, você terá o suporte do banco e mais mecanismos para cancelar a compra e obter um estorno.

7. Prefira cartões virtuais (e temporários)

Já que falamos em métodos de pagamento, que tal continuarmos nesse tópico? Inúmeros bancos oferecem cartões virtuais e, em terra de Black Friday, essa pode ser uma excelente medida de segurança para você. 

Se você não está familiarizado com o termo, te explicamos: cartões virtuais são vinculados a alguma versão física, mas detêm dados próprios e podem ser gerenciados pelo app do banco.

Em geral, o titular pode criar, bloquear e excluir os cartões quando quiser. A dica é que você crie um cartão virtual apenas para suas compras nesse período e, ao final, delete o cartão. Isso evitará maiores danos se essas informações vazarem na Web.

8. Proteja o seu CPF

Através do site da Serasa (https://www.serasa.com.br/consultar-meu-cpf/), você pode acessar uma lista de quem consultou o seu CPF ou CNPJ nos últimos 24 meses. Essas informações são inteiramente gratuitas e, com elas, é possível identificar movimentações indevidas no seu nome.

Se você é do time da organização financeira e caiu nesse conteúdo, temos um presente para te oferecer. É claro que o Organizze não ficaria de fora da Black November! Aproveite a nossa promoção limitada: dois anos de Organizze com desconto. E, ah, você pode parcelar em até 10x de R$ 15,90, que tal?

Conselheiro de empresas, mentor, empreendedor e investidor serial apaixonado por scale-ups e venture capital. Palestrante em diversas iniciativas do ecossistema brasileiro de inovação e empreendedorismo.