Como quitar financiamento: dicas práticas!

Descubra como quitar financiamento de forma rápida e organizada e saiba também o que fazer para ter o bem em seu nome!

casal comemorando depois de saber como quitar financiamento

Comprar um bem financiado é uma forma de realizar sonhos, mas é importante entender que o financiamento ainda é uma dívida e deve ser paga. 

A quitação de um financiamento é um momento decisivo na gestão financeira pessoal, pois representa a conclusão desse grande compromisso financeiro e o início de uma nova fase de possibilidades e liberdade econômica. 

Ou seja, é como tirar um peso enorme das coisas. 

Esse processo, no entanto, vai além do simples pagamento da última parcela, estendendo-se à desalienação do bem, que formaliza a transferência completa da propriedade e a eliminação de quaisquer encargos ou garantias previamente associados ao financiamento. 

Saiba mais sobre o tema neste conteúdo!

Por que aprender como quitar financiamento? Entenda a importância

casal usando o computador para calcular como quitar financiamento

Entender como quitar um financiamento é uma habilidade financeira valiosa que pode ter um impacto significativo na sua saúde financeira e bem-estar geral. 

Aqui estão alguns motivos pelos quais isso é tão importante:

Reduzir carga financeira mensal

Primeiramente, quitar um financiamento reduz sua carga financeira mensal, liberando recursos que podem ser alocados para outras necessidades ou objetivos, como poupança, investimentos ou até mesmo despesas cotidianas. 

Isso proporciona um maior conforto financeiro e a possibilidade de realocar fundos de maneira mais estratégica em seu orçamento.

Esse ponto é ainda mais relevante se você considera os desafios de uma vida a dois, por exemplo. 

Economia de juros

Além disso, ao liquidar financiamentos, você economiza nos custos totais de juros. Financiamentos, especialmente aqueles com prazos mais longos, tendem a acarretar significativas despesas com juros ao longo do tempo. 

Quitar um financiamento antecipadamente reduz esses custos, a fim de gerar economias substanciais.

Melhoria do seu perfil de crédito

Outro aspecto importante é a melhoria do seu perfil de crédito. Cumprir com suas obrigações financeiras e quitar dívidas tem um impacto positivo considerável na sua pontuação de crédito, aumentando sua capacidade de obter empréstimos e financiamentos no futuro em condições mais favoráveis.

Redução do estresse

A quitação de financiamentos também contribui para a redução do estresse financeiro. Afinal, dívidas pendentes são uma fonte constante de preocupação, pois afetam sua saúde financeira e seu bem-estar emocional. 

Livrar-se de financiamentos, por outro lado, proporciona uma sensação de alívio e liberdade financeira.

Como quitar financiamento? 6 alternativas para antecipar quitação

Quitar um financiamento antecipadamente pode trazer liberdade financeira e economia nos custos totais. Aqui estão seis alternativas eficazes para antecipar a quitação do seu financiamento:

1. Reduza seus gastos

Uma abordagem fundamental é revisar e reduzir seus gastos mensais. Identifique áreas nas quais você pode cortar despesas desnecessárias ou luxos temporários. 

O dinheiro economizado deve ser direcionado para aumentar o valor das prestações mensais do financiamento, acelerando o processo de quitação.

Para facilitar na redução, um app de organização financeira como o Organizze é, sem dúvidas, um ótimo aliado. Conheça nossas funcionalidades e faça o teste grátis de 7 dias!

2. Amortize as parcelas

Considere fazer pagamentos extras ou amortizações das parcelas sempre que possível. Isso significa adiantar uma ou mais parcelas, a fim de diminuir o saldo devedor e os juros acumulados. 

Uma ótima recomendação nesse sentido é antecipar as últimas parcelas, pois isso representa uma economia significativa com os descontos ganhos. 

3. Utilize o FGTS

Para financiamentos imobiliários, verifique a possibilidade de usar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). O FGTS pode ser utilizado para amortizar ou liquidar o saldo devedor, desde que se enquadre nas regras estabelecidas pelo fundo.

4. Use o 13° salário e férias

Destinar o 13° salário e as férias para a quitação de financiamentos é uma estratégia eficaz também. 

Esses valores adicionais, não incluídos no orçamento regular, são utilizados para realizar pagamentos significativos da dívida, reduzindo o saldo devedor e, por consequência, os juros a serem pagos. 

É uma forma de aproveitar rendas extras para acelerar a liberdade financeira sem comprometer o orçamento mensal.

5. Opte pela portabilidade

A portabilidade de crédito possibilita transferir seu financiamento para outra instituição financeira que ofereça condições mais vantajosas, como taxas de juros menores. 

Esse processo resulta em parcelas reduzidas e no encurtamento do prazo para a quitação do financiamento. Ou seja, avaliar as ofertas disponíveis no mercado e negociar melhores condições significa economia substancial a longo prazo.

6. Considere um refinanciamento

Refinanciar o seu financiamento pode ser outra alternativa para reduzir os custos e antecipar a quitação. 

O refinanciamento envolve renegociar os termos do financiamento original, podendo incluir a obtenção de taxas de juros mais baixas, mudança no prazo de pagamento ou até mesmo a liberação de recursos adicionais. 

É importante analisar as condições oferecidas e os custos envolvidos no processo para garantir que o refinanciamento traga benefícios reais à sua situação financeira.

O que fazer após quitar o financiamento?

pessoa calculando como quitar financiamento

Após quitar um financiamento, o pagador deve tomar algumas medidas para formalizar a situação e garantir seus direitos sobre o bem financiado. 

Uma das etapas mais importantes é a desalienação do bem, processo pelo qual o bem, anteriormente dado como garantia no financiamento, é liberado de qualquer vinculação com a instituição financeira. 

Aqui está o que você precisa saber sobre como desalienar o bem:

Quando um financiamento é quitado, o bem que estava alienado fiduciariamente (como no caso de veículos ou imóveis) deve ser desalienado, ou seja, deve-se retirar o gravame que indica que o bem garantia o financiamento. 

Isso assegura legalmente que o bem agora está livre de dívidas e pertence integralmente ao seu proprietário.

Para veículos:

  • obtenção da carta de quitação: primeiro, solicite à instituição financeira a carta de quitação ou termo de quitação do financiamento, que é a prova de que o débito foi totalmente pago;
  • documentação necessária: com a carta de quitação em mãos, dirija-se ao Detran (Departamento Estadual de Trânsito) ou ao órgão de trânsito responsável na sua região, levando os documentos requeridos, que podem incluir o CRV (Certificado de Registro do Veículo), comprovante de pagamento de taxas, entre outros;
  • atualização do registro: o Detran realizará a baixa do gravame, atualizando o registro do veículo para refletir sua nova situação livre de ônus.

Para imóveis:

  • obtenção da carta de quitação: assim como nos veículos, solicite à instituição financeira a carta de quitação do financiamento imobiliário;
  • registro em cartório: com a carta de quitação, vá ao cartório de registro de imóveis onde o bem está registrado. Será necessário apresentar a documentação exigida, que pode incluir a escritura do imóvel e a carta de quitação, para oficializar a desalienação;
  • atualização do registro de imóveis: o cartório procederá com a baixa da alienação fiduciária, atualizando o registro do imóvel para mostrar que ele não possui mais vínculos com a instituição financeira.

Desalienar o bem após a quitação do financiamento é um passo fundamental para assegurar sua propriedade plena. Assim, você dispõe do bem como desejar, seja para venda, transferência ou simplesmente para ter a tranquilidade de que ele está livre de quaisquer ônus.

banner Organizze

Conclusão

Concluir um financiamento é um marco importante na jornada financeira de qualquer pessoa, pois abre caminho para uma maior liberdade econômica e segurança patrimonial. 

Para entender como quitar um financiamento, é preciso estar atento a dicas como as que citamos aqui: usar os direitos trabalhistas (como o FGTS e 13º Salário), amortizar parcelas, etc. 

Se quiser entender como organizar a sua vida financeira para arcar com antecipação de parcelas, conheça o Organizze e veja como vamos te ajudar!

Conselheiro de empresas, mentor, empreendedor e investidor serial apaixonado por scale-ups e venture capital. Palestrante em diversas iniciativas do ecossistema brasileiro de inovação e empreendedorismo.